Resistência


“Essa equipe é muito resistente à mudança, não muda nunca.”
Reclamações desse tipo são comuns e evidenciam um pensamento errado: a resistência à mudança é ruim. Basicamente ela é boa, pois preserva o que dá certo. Se não fosse assim, a cada momento estaríamos desistindo de nossas amizades, do nosso trabalho ou de nossa forma de agir. E isso pode não funcionar.
Então quando uma pessoa muda? Quando é que abandona suas manias irritantes ou seus comportamentos fracassados e retrógrados? A resposta é simples: uma pessoa só muda quando a dor de permanecer for maior que a dor de mudar. É isso mesmo. Como mudar dói, a gente evita! E com razão. Mas se permanecer for ainda mais dolorido, então está na hora de mudar. E apesar do incômodo que a mudança traz, da dor, do desgaste, do trabalho, mudar é a solução quando queremos evoluir.
Só evolui quem se incomoda, quem percebe que está subutilizando seu potencial. Quem reflete sobre suas ações e deseja crescer. E essa percepção pode vir da leitura de bons livros, de cursos, de diálogos, de boas palestras, da interação com pessoas que nos instigam a ser melhor.
Quer que sua equipe mude? Faça-a refletir, ler, aprender, ouvir palestras…

autor Marcos Meier, m
atemático, psicólogo, escritor e mestre em Educação. Palestrante nacional e internacional a respeito de relacionamento, via

  • curti (0)

Férias na Croácia

Segundo ano consecutivo que levamos nossos pacientes curtirem as férias na Croácia. Uma pausa de 11 dias para eles que, todos os outros dias saem de casa às 8:00 e voltam às 16:00 horas depois de “exaustivas” horas na escolinha de arte ;).
Para nós, os cuidadores, aumento de estresse porque as obrigações aumentam e por tempo integral. Infelizmente nem todos os colegas de trabalho encaram assim e invertem os papéis, ou seja, pensam estão tirando suas férias!!  Eu confesso não tenho paciência para pessoas assim – que gostam de se aproveitar das situações para levar vantagem – e pensam que ninguém percebe!! Depois que rola um estresse ainda se fazem de desentendidos.
Fora isso, os dias das férias nos ajudam a melhorar a relação com os pacientes e oferecem um pouco de lazer à eles.

  • curti (1)

Croácia

O meu trabalho me proporciona chances de conhecer lugares, e dessa vez conheci a Croácia. Levamos sete excepcionais curtirem suas férias por dez dias, o que para eles é muito divertido pois saem das suas rotinas, rotina essa em que eles trabalham todos os dias.
Estivemos na Croácia, onde é cercado de praias e ilhas maravilhosas! Apesar do país ter vivido uma guerra até 1995, até que está reorganizado, pelo menos aparentemente, mas se sabe que a dificuldade de vida existe. A moeda é a Kuna croata (1 Kuna = R$ 1,78) e não o Euro, o que é deveras engraçado porque eles fazem parte da união européia.
Muito calor faz por lá, mas daqueles que por aqui nunca vi, temperaturas acima de 35 graus todos os dias, pena não pude me esticar embaixo desse sol.
A comida é baseada em (muitos) salames, prosciuttos, azeites premiados, carnes servidas assadas com muita batata junto (diz que é cozida 4 horas numa panela fechada) um tanto pesado pra mim, mas claro provei de tudo. Na padaria tem uma variedade muito grande de pães, mais brancos que integrais. Tem também o Cevapcici, uma mistura de carne de vaca e de porco grelhadas com pimentão doce e cebola, além do (tadinhos) porco no rolete 😉
Quanto a bebida alcóolica não sei dizer o gosto das cervejas ou vinhos croatas, porque aboli da minha vida tudo que tenha álcool. Já a cerveja sem álcool com Holunder (sabugueiro) é uma delícia!!
Mas o que mais me encantou foi o mar (Adriático), água tão clara que parecia uma piscina. Infelizmente as praias na Europa têm muitas pedras, a gente precisa entrar de aquashoes  senão sai sem pé da água.
Visitamos Betina (praia de nudismo), uma ilha que mais parece um paraíso, só que eu não aderi a onda hehe
As pessoas são acolhedoras, e como no Brasil, só sabem o seu idioma, não curtem falar inglês mas se viram.
Eu vou voltar mas sem estar em Dienst (a serviço) porque vale a pena!! Recomendo para quem gosta de praia, sol, calor, ilhas paradisíacas e preços acessíveis.

  • curti (2)

Mauterndorf

Mauterndorf fica nos alpes autríacos e estive lá a trabalho nas duas últimas semanas. É um lugar típico para esqui, caminhadas (muiiiitas) e apreciar a cozinha austríaca.
Na cozinha austríaca tem muita carne de porco, carne empanada, presunto, schlagobers (creme chantilly), almôndegas, sopa de carne, cebola frita com batata, bolo de queijo, panqueca doce com sorvete de baunilha, sonho de goiabada, bolo de maçã, entre outros que não lembro agora…
O verão do hemisfério norte passa tão rápido que a gente nem vê, por isso é muito valorizado tudo que for feito ao ar livre… as pessoas adoram se expor ao sol. Ao contrário de quando eu tinha 20 anos, em que gostava de me bronzear para ter uma cor bonita, hoje em dia fico o mínimo embaixo do sol e apenas para carregar a vitamina D em falta no meu corpitio.
Interessante e diria diferente, é ir na piscina em pleno alpes, ao redor muitas montanhas e cipresses, e uma água gelada de congelar a alma.
Foram dias que passaram devagar porque afinal eu estava trabalhando, fora o dessaranjo intestinal de 5 dias, acho os 1600m acima do mar não combinaram comigo, mas (sobrevivi)  registrei por onde passei e recomendo o lugar para quem gosta de sossego e natureza.

  • curti (0)