Dia das Mães

imagem via

“Amor de mãe é dislexo”

Dramáticas, incongruentes, exageradas, chantagistas e profundas. Pense em qualquer mãe que não tenha ao menos duas dessas atribuições.
Mãe tem dislexia ao amar, troca letras, troca o mundo, ama torto, ama cheio de clichês e ama tentando acertar.
Mãe que é sempre dócil e gentil é anomalia, pois as “normais“ precisam de Rivotril ou de terapia. Ser mãe é esporte radical em queda livre e frio na barriga.
Lê nos livros e prega aos outros de forma resoluta que filhos precisam de asas, mas no fundo, de maneira egoísta quer os filhos no ninho para alimentar. Reza quando estão longe, quando estão perto também.
Mãe abre mão, abre a carteira, abre exceção, mas não esquece, arquiva, pois um dia, dá um jeitinho de lembrar… Pois mãe não cobra à vista, parcela! Adora a solidão … Mas sente a saudade em tempo integral.
Deus cuida das mães de longe, porque se dormisse no quarto ao lado já teria ido estudar fora ou se mudado para uma ONG. Mas com toda certeza … Ele sempre antes de dormir faz uma oração e nos diz: “Te amo, pois a criei exatamente assim, cheia de defeitos para ser um ser que ama de jeito único e (im) perfeito.”

  • curti (4)

1 thought on “Dia das Mães

Leave a Reply

Your email address will not be published.