Bem no fundo

No fundo, no fundo,
bem lá no fundo,
a gente gostaria
de ver nossos problemas
resolvidos por decreto.
A partir desta data,
aquela mágoa sem remédio
é considerada nula
e sobre ela – silêncio perpétuo.
Extinto por lei todo o remorso,
maldito seja quem olhar pra trás,
lá pra trás não há nada,
e nada mais.
Mas problemas não se resolvem,
problemas têm família grande,
e aos domingos saem todos a passear.
O problema, sua senhora
e outros pequenos probleminhas.

O autor foi um escritor, poeta, crítico literário e professor brasileiro, e é de Curitiba (onde nasci). A foto tirei em 12/jun/15 dentro do trem.

Let it go

  • curti (1)

2 thoughts on “Bem no fundo

  1. Um poema muito interessante de Paulo Leminski. Obrigada pela partilha.
    Beijo.

  2. Olá, Cris !

    E quem não tem problemas, que atire a primeira pedra! 🙂
    Poema onde transparece a sabedoria da vida.

    Beijinho amigo.

Leave a Reply

Your email address will not be published.