Apaixonada por séries

Eu assisto tanta série, que se for falar de todas, meu blog vai virar blog de séries.
Recomecei a assistir a Masters of Sex, baseada em uma biografia do século passado, onde “William Masters e Virginia Johnson são conhecidos como os pioneiros da ciência da sexualidade humana. Juntos, eles se tornam os maiores cientistas do assunto e são lançados em uma trajetória de fama que os leva até a capa da revista Time.
A primeira temporada foi em 2013 e a última em 2016, mas eu não tinha assistido tudo porque vou achando outras no caminho e paro. O problema das séries, na minha reles opinião, é que ao longo das temporadas o assunto vai ficando cansativo, imagine então para os próprios atores!
Ainda sobre a Masters of Sex, fiquei pensando como é possível um médico e sua assistente terem tanta intimidade por tantos anos no estudo e não se envolverem (pelo menos emocionalmente), haja que, vêem tantos casais tendo suas experiências ao vivo e a cores e se “auto-testam”.
Outra questão na série que me deixa assim assim, é a mesma que li em um comentário, “a livre expressão sexual como um meio de diversão, sem nenhum compromisso moral.”
Mas deixando as críticas de lado, essa recomendacão é apenas mais uma para quem curte séries.

  • curti (1)

Hora da refeição

meu pratinho novo de porcelana

Eu acho bonito a hora da refeição, acho sagrado. É um momento importante no desenvolvimento emocional até.
Lembro do meu pai aos domingos sentado sempre no mesmo lugar, na ponta, e de lá ele passava o pão, a margarina… ele que sempre levantava muito cedo e fazia o café, ao som do radinho vermelho de pilha em cima daquele armário chiquésimo na cozinha cof cof  🤭 A brincadeira é por lembrar de uma infância nada fácil em Barbacena.
Hoje em dia adoro um brunch, um café da manhã, e quando possível mesa florida, uma toalha bonita. Não tive educação de princesa, mas sei que temos primeiro que limpar a boca com o guardanapo antes de beber no copo, que a  faca e a colher ficam sempre do lado direito e o garfo do lado esquerdo, o guardanapo do lado direito e copo em frente à faca, e no final os talheres têm que ficar sempre juntinhos, igual namoradinhos. Eu ainda tenho muitos resquícios de mal educada e às vezes esqueço tudo isso e como com o prato na mão assistindo minhas séries, aff!!
E falando nisso, eu acho muito bonito os pais que educam os filhos na questão de educação à mesa, ensinam a pedir, agradecer, colocar a toalha na mesa, não falar com a boca cheia, comer pouco, colaborar na arrumação da mesa depois de comer… Fazemos isso com os excepcionais no meu trabalho e quando vamos a um restaurante fico feliz que a lição foi bem dada. É trabalhoso, mas gratificante, quase ninguém acredita que excepcional pode se portar educadamente à mesa.

  • curti (1)

Caraca


link

Então só faz frio na Europa? 🤔
Esse verão está sendo perturbador, diria, de tanto calor!
As temperaturas passam dos 30 graus tranquilamente, todos os dias.
Hoje tive a sensação de frescor quando li que a previsão do tempo para amanhã são trovoadas e no final de semana chuva.
Eu vou preferir sempre o clima tropical, mas desde que eu pudesse tomar bastante sorvete sem engordar; que eu tivesse uma c/c explodindo de euros que me permitisse voar, literalmente, para praias onde eu pisasse em areia e não em pedras como as daqui  e hotéis com aqueles cafés da manhã maravilhosos.assim o verão seria muito mais inspirador do que já é!
Sim, parece que o verão reativa o lado bom da vida, das coisas boas, e que nos lembra que o inverno rigoroso é apenas uma estação passageira, mas que não deixa de ter seu lado atraente.
Vou deixar postado um vídeo desse verão, em que o único barulho além do mar foi  meu colega de trabalho me chamando de volta para a realidade lá na Croácia, quando eu estava à trabalho 😎

  • curti (1)

Eleições 2018

Brasileiro tenta justificar o injustificável, e se engana a si próprio dizendo que, se um candidato aí estiver usando de fundo partidário não é nada, em comparacão a um outro  conhecidamente um corrupto de marca maior.
O certo é o certo, mas para eles o errado não – bom senso mandou lembranças. Quem se corrompe não mede esforços para conseguir os seus objetivos, se é com fundo partidário, ou se é recebendo propinas, o resultado é o mesmo, a nível de caráter. E daí? E daí que endeusam o cara como se ele estivesse num pedestal, independente como ele  coloca a mão no bolso do povo.
O que vejo é uma nova “seita” de devotos a esse candidato e que vem nitidamente se formando… temos os devotos da seita de fulano e agora de cicrano – ai que bonito! 😡
Ao contrário desses, até agora não tenho candidato que no futuro eu encha o peito de orgulho dizendo que votei nele, porque nenhum me convence que vale a pena. Pois é, essa m*  de voto obrigatório me obriga ainda, de tão longe, a votar para presidente, coisa que poderia ser facultativo. E assim caminha a humanidade.

  • curti (0)

Fuá dos fufu

Ouve-se dizer que testamento, herança, inventário são coisas complicadas de lidar e que a gente começa a conhecer a família quando precisa resolver essas coisas…
Ah quem dera a herança fosse do tamanho dos mal-entendidos e das máscaras que caem!  Quem briga ou quem segue o bom senso? Quem tem mais direito? Ninguém sai a contento.
Eu só acho que a honestidade tem que prevalecer, e na maioria das famílias esse é um divisor de águas. A harmonia fica para os contos de comercial de margarina na tv.
Uns esquecem-se que esse é só mais um momento de estar na vida do outro, como foram muitos até aqui.  O que os traz até esse momento de “divisões” já é triste por si só, eu não entendo o por quê alguns insistem em permanecerem divididos…
Família veio embrulhada num pacote bem fechado, a gente não pode escolher o endereço de entrega, “caímos” onde tivemos como destino. Talvez, numa outra dimensão, ou numa outra vida, esse pacote venha pesado de amor,  e como consequência a aventura de pertencer à essa família seja só de finais felizes.

  • curti (1)

Ciclos

“O que está vindo é melhor do que o que já foi.”

Final de tarde, a lua vista assim tão de perto pela câmara do celular, e eu ali registrando no ponto do ônibus… aos poucos o verão vai se despedindo, escurecendo mais cedo, os dias vão ficando mais curtos, já preciso vestir um casaco por causa da brisa fresca. Como o verão, vou também me despedindo de mais uma etapa, superando estremecimentos, ansiando novos ares, conquistas… ahh essas não posso deixar de ir atrás, até por questão de brios! Cobrar dos outros é fácil, mas da gente é difícil… Coração tranquilo, mente em paz… para celebrar a fase com honra, só uma conquista tão desejada fecharia com chave de ouro.
Me aguarde, senhor tempo!! Eu sei o tempo parece vai se esgotando, mas minha vontade de conquistar nunquinha, não vou me deter. Como diz a música do Duran Duran, Come Undone, “ei criança, continue mais selvagem que o vento.”

Duran Duran – Come Undone

  • curti (2)

Férias

Nessa semana estou em ritmo de férias… tomando sol, escrevendo mais aqui no blog, visitando o Naschmarkt, resolvendo coisas pendentes, comendo fora, passeando na cidade (como nessa foto acima)… nada de trabalho.
Eu podia ter agendado uma viagem, pensei até em visitar minha cidade de nascimento (Curitiba), mas não gosto tanto dela ao ponto de gastar tanto dinheiro na empreitada.
Agora é inverno por lá (aqui já tem o bastante), além de que eu sou um ser um cadinho intolerante com algumas pessoas e até mesmo com quem gosto, então, quando fico chateada prefiro ficar distante e num futuro de “não sei quando” viajo para lá.
A passos trôpegos o baile segue, só faltam 4 meses para terminar o ano mas eu ainda tenho muito para fazer!! Oh céus, oh vida!

  • curti (2)

Eu não passarinho

Convencionou-se que pessoas de boa índole gostam de natureza. Bom, eu gosto muito de natureza, ainda que não seja a candidata ideal para me exilar num sítio ou numa praia deserta por um tempo que exceda o período de férias. Além disso, tenho uma relação pouco amistosa com passarinhos, logo com eles, os representantes oficiais da vida ao ar livre. Se o quesito for esse, não sei se minha índole poderá ser bem avaliada.
Quando criança, os contos de fada tentaram me convencer da prestatividade dos passarinhos. Quando a Gata Borralheira resolveu que iria ao baile no castelo do príncipe mesmo sem ter um trapo decente para vestir, foram os passarinhos que a ajudaram a se transformar numa Cinderela, providenciando tecidos coloridos e customizando as peças. Eles praticamente inventaram a profissão de personal stylist.
Eu adoraria acordar com o canto dos pássaros às quatro da manhã se tivesse que levantar para ordenhar vacas, cortar lenha e assar o pão em minha casinha romântica instalada no cenário idílico do campo, mas não levo uma vida romântica: me deixem dormir.
Pena que eu não seja assim tão nobre. Só gosto de passarinho em estampas, selos, quadros e fotos (mentira, mentira, nem isso, só estou querendo angariar sua simpatia). Índole? Nota 7.

Via

  • curti (0)

Croácia

O meu trabalho me proporciona chances de conhecer lugares, e dessa vez conheci a Croácia. Levamos sete excepcionais curtirem suas férias por dez dias, o que para eles é muito divertido pois saem das suas rotinas, rotina essa em que eles trabalham todos os dias.
Estivemos na Croácia, onde é cercado de praias e ilhas maravilhosas! Apesar do país ter vivido uma guerra até 1995, até que está reorganizado, pelo menos aparentemente, mas se sabe que a dificuldade de vida existe. A moeda é a Kuna croata (1 Kuna = R$ 1,78) e não o Euro, o que é deveras engraçado porque eles fazem parte da união européia.
Muito calor faz por lá, mas daqueles que por aqui nunca vi, temperaturas acima de 35 graus todos os dias, pena não pude me esticar embaixo desse sol.
A comida é baseada em (muitos) salames, prosciuttos, azeites premiados, carnes servidas assadas com muita batata junto (diz que é cozida 4 horas numa panela fechada) um tanto pesado pra mim, mas claro provei de tudo. Na padaria tem uma variedade muito grande de pães, mais brancos que integrais. Tem também o Cevapcici, uma mistura de carne de vaca e de porco grelhadas com pimentão doce e cebola, além do (tadinhos) porco no rolete 😉
Quanto a bebida alcóolica não sei dizer o gosto das cervejas ou vinhos croatas, porque aboli da minha vida tudo que tenha álcool. Já a cerveja sem álcool com Holunder (sabugueiro) é uma delícia!!
Mas o que mais me encantou foi o mar (Adriático), água tão clara que parecia uma piscina. Infelizmente as praias na Europa têm muitas pedras, a gente precisa entrar de aquashoes  senão sai sem pé da água.
Visitamos Betina (praia de nudismo), uma ilha que mais parece um paraíso, só que eu não aderi a onda hehe
As pessoas são acolhedoras, e como no Brasil, só sabem o seu idioma, não curtem falar inglês mas se viram.
Eu vou voltar mas sem estar em Dienst (a serviço) porque vale a pena!! Recomendo para quem gosta de praia, sol, calor, ilhas paradisíacas e preços acessíveis.

  • curti (2)