Violência

foto via

Muito se tem falado em redes sociais, sites de notícia, e até em um  jornal conceituado daqui, sobre a garota de 16 anos que foi estuprada por mais de 30 homens no Rio de Janeiro, Brasil.
Pelo que li, a moça fazia apologia ao crime e ao sexo livre.
Se for mesmo verdade (porque eu já ando duvidando de tudo que leio por aí), lamento mais ainda o fato!
Se há culpado, é a educação, ou melhor, a falta dela, na minha opinião. Na falta dela está enraizado todo o mal de mentes doentias, e pior que nem se apercebem disso.
Quantos pais alienados educam seus filhos homens para “marcar presença” se a mulher “dá mole”; não ensinam a fazer serviços domésticos porque é “coisa de mulher”…
Por outro lado, quantas formas de violência nós mulheres vivenciamos e algumas nem se dão conta, como os relacionamentos abusivos, chantagens emocionais em troca de alguma coisa… A cultura do estupro é assustadora!
Ainda existem muitas mulheres que se submetem a viver como se fossem obrigadas a ser o que eles querem, pensando que isso é casamento, isso é amor…
Não sou feminista, mas na minha vida privada defendo o meu direito de tudo que eu me sinta “violentada”!
Me permito dizer que aprendi na convivência com o sexo oposto que, o que importa é “o que se olha, não o que se vê”, e a maioria vê o que eles têm na cabeça, por isso no tocante às roupas melhor mesmo ser neutra. Se sem ver direito, o registro mental já floresce, vendo o invisível até para eles, imagine vendo…
É um assunto delicado, eu só quis deixar registrado o meu pensamento com rápidas pinceladas. Seria muito bom que as mulheres ignorassem menos o assunto, e procurassem saber, perguntando, lendo sobre a cultura do estupro, e que vai muito além da violência carnal.

  • curti (1)